08 dezembro 2007

O Louco

Segue-me!,
Pois tu também és louco.
E de um tudo, sempre
Permanece um pouco,
E que loucura é maior
Ver da semente surgir
Um Jequitibá, colosso?
Segue-me, seu tolo!
Abandona as tuas certezas
Insoluvéis, os teus terrores
Injustificavéis, os teus sonhos
Irrealizáveis, insanos!
Vem ser comigo mais um mundano,
Um bêbado, um crente, um santo.
Vem ver comigo um mundo
Que ninguém mais vê.
Vem ter comigo a alegria
Incontida, a Fé concebida,
A noite e o dia sob teus pés.
Segue-me, simplesmente,
Que eu viajo pelo mundo
Sem vigiar meus passos -
Ele o faz por mim,
E esse cachorro que me segue -
Nem é meu,
Alerta, mais do que eu,
Reconhece os perigos do caminho.
Eu so faço contemplar estrelas.
Leve e eternamente solto...
Um louco!
Como são todos os vagabundos e poetas.

4 comentários:

tita coelho disse...

Gostei..." como são os vagabundos e poetas"....passa lá no blogue que tem homenagem pra ti!!
Beijos meus

Marrie disse...

E o qto é bom, por vezes, ser um "louco" num mundo de pobres normais!
Eu sou........rs
bjs insanos

Carolina disse...

de louco todo mundo tem um pouco, já dizia o poeta...
obrigada pelo comentário, o post foi realmente escrito com o coração... são desabafos incontidos... rsss...
bjos...

Dora Guiseline disse...

Estava procurando uma imagem do Louco para colocar em um texto que escrevi e achei seu blog.
Adorei este texto. Parabéns.